• Casa do Mecânico

Torno mecânico como ferramenta para pequenos empreendedores


Aprenda como montar uma tornearia e começar empreender por conta própria na sua cidade

Há muito tempo os brasileiros enfrentam as dificuldades econômicas e os desafios de se manter ou se inserir no mercado de trabalho. Esse cenário faz com que cada vez mais pessoas procurem alternativas para compor renda ou complementar seus ganhos com atividades secundárias.

Se reinventar, criar novas oportunidades é fundamental para viver de forma mais equilibrada diante deste cenário. Neste artigo trazemos alguns exemplos de pessoas criativas que aderiram o torno mecânico como ferramenta para fabricação de produtos artesanais.

Como empreender usando o torno mecânico

A tornearia é uma das atividades mais antigas do mercado e até hoje é fundamental para o setor industrial. Embora esta atividade atenda diversos segmentos do mercado, o automotivo é um dos mais supridos com a fabricação de peças em grandes escalas.

Imagem ilustrativa - Torno Mecânico Industrial antigo/ Pixabay Images

No entanto, a versatilidade do torno mecânico permite que o empreendedor possa iniciar um negócio por conta própria na sua casa e possa produzir de forma artesanal uma infinidade de produtos.

Com um torno de bancada é possível cortar uniformemente as peças e moldar a superfície do objeto como parte de um projeto de madeira ou de um processo metalúrgico. Este tipo de torno pode ser facilmente operado por amadores, artesãos de madeira, ou por profissionais de indústrias ou pequenas oficinas que trabalham com projetos de remodelação ou renovação de peças.

Tornos para fabricação de peças de aeromodelismo, joias e artesanato

Existem tornos específicos para essas funções, os quais são chamados de mini tornos, comumente usados para prender placas de circuito, aeromodelos e outros trabalhos pequenos como também por joalheiros para segurar joias e com o movimento de rotação realizar corte e obter o acabamento desejado para casa produto. Eles são montados com uma ventosa e têm, frequentemente, uma junta articulada no meio para permitir que sua rotação.

Em Ijuí, cidade do interior do Rio Grande do Sul, o empreendedor Rodrigo Teixeira adquiriu um mini torno para produção de peças para montagem de aeromodelos. Há 10 anos trabalhando como representante comercial, Rodrigo resolveu tornar seu hobby uma segunda atividade para compor a renda.

À direita: Rodrigo Teixeira. Foto arquivo pessoal.

Na cidade de Campinas, em São Paulo, o ourives Renato dos Santos ampliou sua escala de produtividade com um torno mecânico. Renato utiliza a máquina para prender a peça em uma pinça e iniciar um processo giratório, fazendo um movimento de encontro com a superfície da joia para remover o que é necessário até chegar ao acabamento definido para o produto.

O torno mecânico adequado para esta atividade possui um variador de velocidades, o que permite ter melhor acabamento e melhor eficiência no aproveitamento das ferramentas de corte. A máquina escolhida por Renato opera com polis, vídias ou diamantes, em trabalhos externos ou internos. Sua aplicação proporciona menos perda de materiais e baixo nível de vibração e a grande vantagem está na produtividade, ele consegue aproximadamente 150 peças por hora, com excelente acabamento.

Em Belo Horizonte, o artesão Leandro Meireles utiliza um torno de bancada para madeira como principal ferramenta de produção para o seu negócio. O empresário desenha e fabrica cabos de madeira para espetos com design diferenciado. Desta forma o empreendedor cria coleções exclusivas e fornece para o mercado local.


0 visualização

© 2023 por Sandro Esteves. Orgulhosamente criado com Wix.com