• Casa do Mecânico

Torno Mecânico para armeiro - Fabricação de raias de um cano de arma a partir de um torno mecânico


O cano de arma é feito por uma barra de aço cilíndrica que passa por processos até chegar no estágio aprovado para ser colocado no corpo da arma. Os processos podem variar de acordo com o tipo de arma, de aço, o controle do calibre, entre outros.

(Google Imagens)

A primeira ação é o descascamento externo da barra e o esquadrejamento (nivelamento) das faces das pontas, o que é realizado através de um torno mecânico convencional ou CNC. Após este procedimento é feita a perfuração, por meio de uma máquina semelhante ao torno mecânico, na qual a barra é fixada internamente a um eixo rotativo, mediante duas pinças, uma em cada extremidade do eixo.

A broca é fixada em um cabeçote móvel e guiada por buchas localizadas em lunetas intermediárias entre o cabeçote móvel e o fixo onde se localiza o eixo.

Veja aqui de forma mais simplificada os processos de fabricação de um cano de arma, a partir do torno mecânico. Processos passo a passo:

1º processo é o corte que deve ser feito de forma individual usando uma ferramenta chamada hook rifling, que é uma ferramenta monocortante. Essa ferramenta é utilizada em uma máquina que ao mesmo tempo que corta vai girando o cano para que o mesmo fique com uma ranhura na face exterior do furo. Para tanto pode ser usados dois sistemas, o sine bar ou cilindros guia de passo.

2º processo é feito por deformação a frio que é feito por uma ferramenta que através da tração deixa o cano raiado em toda a sua extensão. A ferramenta se chama button rifling e se parece muito com uma azeitona cheia de saliências em forma de hélice na sua superfície formando dessa forma as marcas das raias.

3º processo por forjamento progressivo. Nesse processo é necessário fazer um furo antes com calibre que seja maior que o final. Esse tipo de processo só pode ser feito quando é em grande quantidade. Os AK russos tinham seus canos fabricados dessa maneira.

4º processo por eletro erosão a perfuração. Esse é um método que só pode ser usado em canos que são bem curtos, como por exemplo de pistolas. Ao passo que a máquina de eletro erosão vai sendo penetrada no furo (com um instrumento apropriado) a mesma produz o giro do eletrodo fazendo o passo.

5º processo Walter que também é muito usado para canos curtos é feito de forma a criar ranhuras em todo o comprimento do cano. Depois a barra passa pelo torneamento até o tamanho da parte de fora bem perto do final do cano. Depois o cano passa por outro processo para deixar as ranhuras internas que são retas, em helicoidais.

Não importa o tio de processo de raiamento que o cano da arma passe, pois em qualquer um deles será preciso passar pelo alívio térmico de tensões, depois será torneado por fora e desempenado com o auxílio de uma prensa manual. No final do processo o cano deve star bem reto.


0 visualização

© 2023 por Sandro Esteves. Orgulhosamente criado com Wix.com